Home MUSEU Cultura Chinesa Lenda Sobre Niulang e Zhinü

Lenda Sobre Niulang e Zhinü

Niulang (boiadeiro) era um pobre e alegre solteiro. Tinha apenas um velho boi e um arado. Diariamente, trabalhava no campo e, quando de volta à sua casa, fazia seus trabalhos domésticos, levando uma vida difícil. Mas, um dia, aconteceu um milagre.

Quando retornava do trabalho, viu tudo em ordem: roupas lavadas, comida quentinha e bem cheirosa sobre a mesa. Niulang, surpreso com o fato, pensou: o que aconteceu em minha casa? Apareceu algum imortal? Mas, não consegui decifrar o mistério...

Diariamente, no entanto, o fato se repetia. Niulang decidiu descobrir o que estava havendo. Um dia, saiu muito cedo de casa, como de hábito, mas se escondeu perto de casa para observar o movimento.

Pouco tempo depois, viu uma linda uma moça entrando em sua casa e a realizar suas tarefas domésticas. Impaciente, Niulang saiu do esconderijo e perguntou à moça: “Quem é você? Porque veio ajudar-me?” A moça, surpresa, murmurou envergonhada: “Chamo-me Zhinü (tecelã). Vi-o levando uma vida difícil e queria ajudá-lo”. Todo contente, Niulang se atreveu a dizer: “Case comigo. Vamos trabalhar e viver juntos”.

Zhinü concordou e os dois se casaram. Daí por diante, enquanto Niulang cultivava a terra, Zhinü tecia. Mais tarde, tiveram um casal de filhos.

Um dia, o céu estava muito nublado e havia muito vento. Dois generais celestes chegaram à casa de Niulang, dizendo que Zhinü era neta do imperador celeste e que havia fugido de casa há anos. Contra a sua vontade, ela foi conduzida ao céu.

Niulang ficou muito triste e jurou procurar a mulher. Mas, na qualidade de simples mortal, como poderia chegar ao céu?

Neste momento, o velho boi disse: “Pode me sacrificar. Tire minha pele e vista-a para voar até o céu”. Niulang seguiu as palavras do velho boi. O sacrificou, vestiu sua pele, pegou dois cestos onde colocou as duas crianças e voou para o palácio celestial. Mas, o imperador recusou o pedido de Niulang para reencontrar-se Zhinü.

Mas, devido à insistência de Niulang e seus filhos, o imperador permitiu-lhes um breve encontro. Vendo o marido e os filhos, Zhinü ficou, ao mesmo tempo, triste e contente. O tempo passou rápido. O imperador ordenou o fim do encontro. Niulang e os filhos corriam querendo alcançá-la. Neste momento, a Rainha Mãe do Céu tirou do cabelo um adorno de ouro e traçou com este uma linha entre Niulang e Zhinü. Logo surgiu um grande rio que Niulang não conseguiu atravessr.

Desde então, quando a noite chega, as pessoas o vêem e o chamam de Via Láctea. Separadas e em lados opostos, duas estrelas cintilam no espaço. Uma é Niulang (Altair) e a outra, Zhinü (Vega). Segundo a lenda, a Rainha Mãe do Céu, no entanto, permitiu que Niulang e Zhinü se encontrem uma vez por ano, no dia sete de julho do calendário lunar. Nessa noite, todas as pegas voariam à Via Láctea formando uma ponte onde eles poderiam encontrar-se.